Brevidade da Vida

Imersão virtual. Analisando histórias fictícias. Já disse o mestre que a arte imita a vida. Quer seja realidade ou não, creio que seja incrivel o fato da capacidade virtual de nos ensinar, amadurecer sem nem ao menos ser necessário conviver.

Acompanhando vidas sob uma perspectiva panorâmica, tal qual um olhar divino. É engraçado como cada pessoa, com sua personalidade, enriquece e sincroniza ao Todo.

Os astros estão certos quando dizem que não admito o fracasso. Realmente, a autoconfiança me seduz. O mais profundo do meu ser sabe que sou autoconfiante e que não me apetece conviver com o fracasso. Minha existência, em sua infinita sabedoria, sabe mais do que ninguém que qualquer pessoa é capaz de qualquer coisa, não importa a dificuldade aparente.

Afinal, vivemos imersos em certa virtualidade. É tudo vaidade, é tudo ego. Até os mais terríveis pesadelos, até os mais assombrosos obstáculos, é tudo vaidade.

Esses dias, Merlin disse que “A melhor coisa a fazer quando se está triste é aprender alguma coisa. Essa é a única coisa que nunca falha. Você pode ficar velho e trêmulo em sua anatomia, pode passar a noite acordado escutando a desordem de suas veias, pode sentir saudades de seu único amor, pode ver o mundo ao seu redor ser devastado por lunáticos malvados ou saber que sua honra foi pisoteada no esgoto das mentes baixas. Só há uma coisa para isso: aprender. Aprender porque o mundo gira e o que o faz girar. Essa é a única coisa da qual a mente não pode jamais se cansar, nem se alienar, nem se torturar, nem temer ou descrer, e nunca sonhar em se arrepender. Aprender é o que lhe resta”. Provavelmente, instintivamente eu já sabia disso.

Eu não tenho condições de saber o meu dia de amanhã, o futuro é incerto, permeio em uma estrada repleta de pedregulhos. Mas uma coisa eu sei: a fé é capaz de mover montanhas. É aquilo que sempre digo: no final, tudo dá certo, senão, não é o final. Eu sei que, em meio a calmaria em que me encontro, tudo parece simples. E mesmo assim, ainda implico certas dificuldades que são inúteis. Porém, é assim mesmo. Mas o meu coração vibra, meu coração vibra cheio de fé e esperança, eu sei que o dia de amanhã, e o de depois, e sempre, tudo vai dar certo, tudo irá melhorar. O próprio, já citado, Merlin disse que é ótimo estar no fundo do poço. Afinal, não há mais como descer, só subir, como um foguete. E é verdade. O lançamento iniciou-se, agora só me resta deixar levar…

Anúncios
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s